Programa “Onda de Emoção”

No passado mês de março teve início mais uma edição do programa “Ondas de Emoção”, no qual as crianças e jovens da Ludoteca da Adroana e Casa da Criança de Tires iniciaram a prática do BodyBoard. O programa “Ondas de Emoção” nasce de uma parceria entre a Fundação Champagnat, a Terra dos Sonhos e a Pure Emocean. Este projeto tem como objetivos a capacitação, autonomização e a consciencialização psico socioemocional de crianças e jovens fragilizados emocionalmente, ao nível de quatro pilares fundamentais para a promoção da felicidade: autoestima, gestão de emoções, comunicação positiva e aceitação da mudança. Independentemente das suas circunstâncias e limitações, este projeto permite que todas as crianças e jovens aprendam ferramentas para viverem a vida de uma forma mais feliz e positiva. Foi com grande entusiasmado e motivação que os nossos pequenos (GRANDES) heróis aguardaram o início do projeto Ondas de Emoção. O desconhecido gerou uma enorme expetativa a todos os participantes, originando uma panóplia de sentimentos e opiniões: “Penso que esta experiência vai ser divertida! Tenho que aproveitar porque é uma oportunidade única. Acho que os professores vão ser duros connosco, querem tudo perfeito” (Diana Fernandes).

Relativamente aos medos e constrangimentos que sentiram antes de iniciarem a atividade foi-nos confidenciado: “Antes de começar a prática de BodyBoard tinha vergonha de não conseguir fazer bem os exercícios, mas percebi que os outros participantes também sentiam o mesmo e, com a ajuda dos professores, ultrapassei esse receio” (Justino Cadjocarinha). Com o passar das sessões os nossos heróis sentiram um maior à vontade: “Estou cada vez mais confiante quando faço BodyBoard, com vontade de ir mais além e, acima de tudo, divirto-me!” (Khadija Jau). Outra das participantes revelou ainda: “Sinto-me contente e entusiasmada porque sei que, a cada aula, vou ultrapassar novos obstáculos e que os professores estão sempre disponíveis para me ajudarem a superar os meus medos” (Angélica Cau). Quando questionados acerca dos constrangimentos que ultrapassaram responderam: “Foi apenas no início agora é tudo mais fácil, vamos à água com a prancha, fazemos as manobras que vamos aprendendo e divertimo-nos muito uns com os outros” (Miteram Mendes).

Além da prática desportiva, o projeto estimulou igualmente a reflexão, com a ajuda de uma psicóloga da Terra dos Sonhos, o grupo realizou atividades que permitiram tomar consciência do “eu” e do “outro”: “A reflexão ajudou-nos a pensar na vida e no que sentimos e como os outros se sentem. Ali senti que podia dizer tudo o que penso” (Ude Gomes).

Em suma, esta experiência pretendeu deixar uma marca no futuro: “É muito importante conseguirmos confiar em nós próprios, superarmo-nos e ajudar os outros a fazer o mesmo, acho que com isto conseguiremos ser adultos melhores” (Mariana Bizarro).

Categoría: